8.2.07

Manual de boas maneiras


Taí uma revista que vai durar o tempo necessário pra chamar a atenção. Como um peido inesperado. No meio de tanta coisa ruim, tinha que haver algo pior. Humor sem reservas. Diarréia de palavras soltas mas com cabimento. Resta saber se haverá possíveis leitores. Aos curiosos, sugiro a leitura na solidão do toillete. Vale a pena ler tanta merda.

Segue abaixo trechos do primeiro editorial da revista M. Se você é jornalista (ou não é mas gosta dessa merda), algumas frases são (re)laxantes.

NÃO temos receio de jogar M... no ventilador.
NÃO vamos censurar opiniões ou informações que nos deixem mal com anunciantes, com autoridades ou com a mãe do leitor.
NÃO vamos deixar de publicar os palavrões que os entrevistados disserem ou que colaboradores usarem em seus textos.
NÃO pretendemos salvar o mundo, mas também não queremos que ele de pronto se foda.
NÃO tivemos vergonha de pedir colaborações sem remuneração.
NÃO cobramos preço de tabela para anunciantes neste primeiro número. Foram todos convidados. Ou desafiados a publicar anúncio com a gente.
NÃO publicaremos a revista em janeiro e fevereiro, pois sabemos que o ano no Brasil só começa depois do Carnaval. Mas como a internet não é brasileira, vamos atualizar o site constantemente nesse período. Quer dizer, a gente faz M... até sem papel.
NÃO temos Manual de Redação e Estilo rígido. Assim, NÃO temos padrão para dar créditos, estruturar entrevistas, grafar algumas palavras etc.
NÃO somos obrigados a seguir nada do que dissemos acima.

Para entrar no site, clique aqui.

2 comentários:

João Cagão disse...

Rememorando os vehos tempos: manhêêêêêêêê, caguei!

Flor disse...

já eu falava: manhêeee...CABô!