8.10.08

nômade

parado, na pista, cansado de correria.
mas enquanto houver fôlego estou no páreo.
não quero ser o primeiro e nem serei secundário.
só quero o que mereço por correr tão apressado.

não me diga que você sabe por que está correndo. ninguém sabe.

a vida não é uma linha
a vida não é um ponto numa linha
a vida não tem início nem fim.
ela é só um meio.

não gosto de nada pela metade. ou tudo é, ou nada.

subdivisões não me convencem.
talvez por isso eu seja tão apressado.
gosto de sentir o gosto do começo,
mas também aprecio o sabor do bagaço.

um dia eu chego lá. nem que lá seja longe.

eu nunca sei mesmo quando estou perto.
não corro de olhos fechados, senão tropeço
corro de mente aberta e coração.
não, não quero ser campeão.

só sei que quero chegar bem longe. e que não fico. nem lá, nem aqui.

4 comentários:

Lib disse...

Oi, tudo bom? Achei seu blog por acaso, gostei muito, vc além de ser jornalista, faz poesia? abs.

disse...

Oi, ai acima era eu, eu estava logada num blog antigo q já deletei, agora to nesse aki, mas po, mt legal msm oq vc escreve

Anônimo disse...

ah, adorei a poesia erotica ali embaixo (duplo sentido rsrs), é q eu vou lendo e escrevendo aos poucos, os comentários, ñ consigo escrever td d uma vez rsrs

Lara disse...

lembrei de uma das falas do coringa...